5 razões para investir em eficiência energética

Publicado por Sérgio Grassi em sex, 27/10/2017 - 15:21
razaoes para investir em eficiencia energetica

A eficiência energética ganhou importância mundial na década de 70 durante o choque do petróleo, por uma questão de segurança energética.

Desde então, o que vemos é um avanço no interesse pela eficiência energética em todo o mundo, seja no âmbito das grandes corporações, passando pelos órgãos governamentais ou até mesmo no dia a dia das atividades domésticas.

Hoje a eficiência energética é considerada em cenários futuros de energia, como uma das principais estratégias para o alcance das metas de redução de emissões de gases que provocam o aquecimento global.

Também existe uma consciência que o uso eficiente da energia, tem um grande potencial de crescimento em todos as áreas consumidoras e que o MWh mais limpo e barato é aquele que nunca será necessário.

Veja abaixo alguns motivos para que você invista em eficiência energética:

1. Redução de custos

Seja qual for a atividade que você está envolvido, as questões ligadas a necessidade de redução de custo, é prioritária. O uso eficiente da energia é um grande aliado para a redução de custos e ao contrário do que muitos pensam, não depende exclusivamente de grandes investimentos em novas soluções e tecnologias. Na maioria das vezes, os grandes ganhos em eficiência energética são provenientes de ações simples ligadas aos hábitos das pessoas, ou seja, buscar fazer a mesma coisa de forma mais eficiente.

Um estudo da Consultoria ICF International indica a existência de potenciais técnicos de redução bastante significativos, como por exemplo:

  • Indústria de alimentos e bebidas, 26%
  • Indústria química e farmacêutica, 25%
  • Indústria do petróleo, 25%
  • Indústria siderúrgica, 24%
  • Indústria de papel e celulose, 19%

 

2. Redução das emissões de gases de efeito estufa

Outra importante razão para buscar o uso eficiente da energia é a saúde do nosso planeta. Atualmente somente 14% da energia consumida no mundo é proveniente de fontes renováveis, ou seja, em torno de 86% do que consumimos é proveniente de fontes geradoras de gases de efeito estufa (petróleo e carvão mineral).

Desta forma, todos os esforços direcionados para o uso eficiente da energia consequentemente reduzem também a geração de gases de efeito estufa, colaborando fortemente com a saúde do planeta e a nossa também.

 

3. Redução dos investimentos em geração e distribuição de energia

Por outro lado, quando conseguimos ser mais eficientes no consumo da energia, investimentos na geração e distribuição são reduzidos. Este ciclo vicioso implica em queda do preço da energia e proporciona o atendimento a um volume maior de consumidores sem que se amplie o sistema.

 

4. Mitigação das consequências advindas das variações dos preços de energia

A partir do momento que se consegue a redução do impacto das faturas de energia nos custos totais da empresa, ficamos também menos expostos às variações dos preços da energia e consequentemente os planejamentos financeiros passam a ser mais previsíveis.

 

5. Sobrevivência das Corporações

Se ainda não estiver convencido da importância da eficiência energética no seu negócio, lembre-se que o mundo está mudando em uma velocidade nunca vista anteriormente. Para que uma corporação continue viva e próspera nos dias de hoje, o uso eficiente da energia é fundamental e irreversível.

O mesmo estudo da ICF citado acima, indica como as duas maiores oportunidades para se obter um ganho energético, as seguintes ações:

  • A implantação de sistemas de controle integrado, ou seja, redes integradas onde as informações dos medidores e sensores é usada para adaptar o processo a condições otimizadas, baseadas em inteligência artificial, matemática ("baseada em regras") e modelos lógicos de processo industrial. Uma rede neural é um exemplo de um sistema de controle integrado.
  • Sistemas de medição distribuídos que são usados para medir a quantidade de energia consumida por equipamentos, ou partes de um processo. Estes sistemas de medição devem ser interligados com um sistema de controle central, gerar informações e tendências armazenadas em um sistema historiador.
     

Pelo que vimos acima é impossível em um mundo tão competitivo, a sobrevivência de uma corporação sem o devido cuidado com o uso da energia, logo temos que fazer a nossa parte e não delegar esta tarefa.

Diretor Comercial , Viridis

Diretor Comercial da Viridis. Trabalhou durante 35 anos na Vallourec do Brasil, nas áreas de energia, manutenção e montagem industrial e coordenou o projeto da área de Energia e Utilidades da usina Vallourec & Sumitomo (VSB). Graduado em Engenharia Elétrica e pós-graduado em Automação Industrial e Gestão de Negócios. Membro da CB-116, que elaborou a ABNT NBR ISO 50.001 – Sistemas de Gestão da Energia, foi o responsável pela certificação da Vallourec como primeira siderúrgica do Brasil nesta norma. É membro da Câmara de Energias Renováveis e Óleo & Gás da FIEMG.  

Comentários

Manoel Lopes Ferreira (não verificado) (seg, 05/03/2018 - 15:08)

seg, 05/03/2018 - 15:08

Comentado por Manoel Lopes Ferreira em seg, 05/03/2018 - 15:08

Comentários
Bom dia! Parabéns 👍🏻💯

Comentar