Análise de cascata: uma poderosa visualização de dados que auxilia na gestão de energia

Publicado por Victor Vilaça em sex, 12/04/2019 - 19:53
artigo analise de cascata viridis

Você sabe como uma análise de cascata pode ajudar na gestão de energia de uma empresa? Neste artigo iremos abordar sobre os quatro parâmetros operacionais que influenciam positiva ou negativamente na revisão de valores.

 

Quando falamos de dados, uma das primeiras coisas que vem à mente é um conjunto confuso e maçante de números. Muitas vezes estes dados por si só nos ajudam pouco (ou nada) na construção de análises. O que é de fato o objetivo, ao coletar os dados, é transformá-los em algo visualmente mais adequado, para que assim seja possível extrair o que chamamos de informação. Somente através desse tratamento que poderemos alcançar o conhecimento por meio dos dados e por fim realizar análises que nos ajudarão em possíveis tomadas de decisão num futuro.

dikw pyramid

Fonte: https://www.ontotext.com/knowledgehub/fundamentals/dikw-pyramid/

Ao longo do tempo, diversas técnicas de visualização foram surgindo e ganhando força no mercado. Algumas delas bastante tradicionais, que se encaixam em qualquer tipo de dado e outras mais específicas para certos tipos de negócio. Neste artigo, falaremos um pouco sobre a análise de cascata, e como ela é utilizada para facilitar a transição deste caminho entre dado e sabedoria. Além disso, você entenderá como o processo de análise dos dados utilizando esse tipo de visualização poderá te ajudar a fazer uma boa gestão de energia.

Dinâmica da análise

A análise de cascata tem como objetivo comparar um valor final em relação a um valor inicial, afetado por parâmetros operacionais que influenciam positivamente ou negativamente. É possível identificar e acompanhar cada ganho ou perda de valores por meio da análise de como estes parâmetros estão afetando os valores inicialmente coletados.

viridis-blog-artigo-bridge-analytcs-graficos-01

O exemplo acima mostra um caso de uso real sobre como a análise de cascata pode ajudar na gestão da energia de uma empresa. Foram levantados dados de consumo trimestrais de uma determinada planta. Para justificar a diferença entre dois trimestres, foram definidos quatro parâmetros operacionais que tiveram influência nos valores iniciais coletados:

  • Nível de produção: O nível de produção corresponde à quanto o consumo variou por causa da quantidade de produto produzido naquele período. É interessante observar que, apesar do nível de produção ter aumentado consideravelmente entre o 3º e o 4º trimestre, o nível do consumo permaneceu quase o mesmo, apresentando inclusive uma pequena queda. Isso mostra que alguma ação tomada entre os trimestres teve um efeito positivo para a empresa, pois foi produzido uma maior quantidade de produto com um consumo ligeiramente menor.
  • Mix: O mix é relacionado ao conjunto de produtos que foi produzido naquele período. Subentende-se que produtos diferentes necessitam de quantidades diferentes de energia. Neste caso, a diferença entre o mix de produtos resultou em um pequeno aumento de consumo entre os trimestres.
  • Insumos: A qualidade dos insumos utilizados pode variar drasticamente o consumo para que seja produzido o mesmo produto. Pensando assim, foi definido que esse era um ponto que deve ser levado em consideração na análise. Na análise mostrada acima, a qualidade dos insumos teve efeito, ainda que pequeno, mas fundamental para que o consumo no 4º semestre fosse menor do que no 3º.
  • Processo: O processo é um poderoso fator que afeta drasticamente a análise. Entende-se como processo alguma mudança feita na produção de um produto. Inúmeras ações podem levar a alterações neste parâmetro: a correção de um vazamento, a mudança na maneira de operar um equipamento ou até mesmo uma alteração na forma de como um produto é produzido pode resultar em grandes diferenças de consumo. Este fator está diretamente ligado à melhorias de eficiência energética na empresa. No caso da análise em estudo, percebe-se que alguma mudança feita no processo de produção contribuiu para que, apesar do nível de produção ter uma elevação registrada, no final do 4º semestre o nível de consumo conseguiu ser ainda menor do que no 3º.

Resultados aplicados à gestão de energia e utilidades

Analisando de forma geral, conclui-se que uma alteração feita na produção de um determinado produto teve como resultado a diminuição considerável do consumo específico. Mesmo que o nível de produção tenha apresentado uma elevação, as melhorias nos insumos e na eficiência energética (processo) garantiram pouca variação no consumo absoluto. No final das contas, foi observado que no 4º semestre a empresa produziu mais de seu produto, consumindo um pouco menos para isso.

Este caso de uso analisado evidência que a utilização de uma ferramenta analítica possibilita a identificação de melhorias de performance em processos de produção, e consequentemente na economia de recursos. É possível perceber como uma análise de cascata bem feita, levando em conta os fatores que são considerados como variáveis relevantes no processo de produção de um determinado produto, pode apontar falhas e oportunidades de melhorias, passando pelo processo de fabricação e podendo chegar até mesmo em uma alteração dos níveis de produção. A coleta destes dados, a estratificação e o tratamento visual, são os passos para alcançar a informação e levar equipes de gestão a entender por qual motivo o consumo de um equipamento está aumentando ou diminuindo, permitindo a tomada de decisões para corrigir os fatores negativos e manter ou aumentar os fatores positivos que influenciam em um consumo de um determinado equipamento.

7 razões para investir em um sistema de gestão de energia e utilidades

Desenvolvedor de software, Viridis

Desenvolvedor de software na Viridis, formado em Sistemas de Informação pela UFMG. Possui experiência de intercâmbio nos EUA, onde cursou algumas matérias da graduação na Fontbonne University, em Missouri e também participou de um programa de estágio no Illinois Institute of Technology, em Chicago. Possui grande experiência em desenvolvimento web, com foco em front end e grande interesse na área de engenharia de software, especialmente sobre metodologias ágeis e suas aplicações.

Comentar