Gestão de Energia e Utilidades e os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Publicado por Mariane Gonçalves em ter, 16/01/2018 - 18:20
gestao_energia_utilidades_objetivos_desenvolvimento_sustentável

Uma análise da importância de uma boa gestão de energia e utilidades das empresas como contribuição para o alcance das metas estabelecidas pela Agenda 2030

 

A partir da reunião realizada em Nova Iorque no dia 25 de setembro de 2015, a ONU e 193 líderes de países que fazem parte das Nações Unidas, estabeleceram os 17 objetivos de desenvolvimento sustentável (ODS) e 169 metas a serem implementadas em 15 anos, chamada de Agenda 2030. Os 17 objetivos, que sucedem e atualizam os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), envolvem temáticas diversificadas, como erradicação da pobreza, segurança alimentar, agricultura, saúde, educação, energia, água e saneamento.

Qual o objetivo da Agenda 2030?

A Agenda 2030 compreende um conjunto de programas, ações e diretrizes que orientará a todos – governos, instituições, empresas e pessoas de modo geral – em trabalhos que contribuam para que se caminhe rumo ao desenvolvimento sustentável. Todos os países se comprometeram a alcançar as metas até a data estabelecida, através de políticas nacionais e atividades com apoio internacional. Diante desse cenário, o engajamento do setor privado também é fundamental para o atingimento das metas globais.

Como o setor privado pode contribuir?

O desenvolvimento sustentável, foco da Agenda 2030, é fundamentado na educação de qualidade, preservação ambiental e crescimento econômico. Desta forma, a implementação das metas no planejamento das empresas é essencial, seja através da otimização das rotinas operacionais otimizadas, como também na realização de investimentos. Além disso, traz uma série de aspectos favoráveis e intangíveis para a organização, como estes abaixo:

  • Credibilidade para a marca;
  • Aumento de competitividade;
  • Olhar voltado para erradicação das questões que dificultam o desenvolvimento econômico, social e ambiental do mundo;
  • Foco no futuro da empresa e dos seus colaboradores.

Gestão de energia e utilidades e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU

Empresas tem buscado no mercado, soluções que possam gerar uma otimização de custos. Pautas como a gestão energética são priorizadas visto que estão intimamente relacionadas a diferentes pontos da Agenda 2030. Os impactos de uma gestão de energia e utilidades bem-sucedida nas empresas, contribuem para o alcance das metas.

Veja abaixo alguns pontos importantes que podem engajar sua empresa neste programa:

gestao_energia_objetivos_onu

 

• Formação de pessoas voltadas para a sustentabilidadea formação de uma cultura voltada ao uso racional de recursos é um ponto importante abordado pela Agenda 2030. O envolvimento e formação de pessoas objetivando a criação de uma consciência coletiva que busca a otimização dos recursos é pré-requisito para se atingir os objetivos do programa.

• O uso consciente da energia e da água - aspecto importante dos governos e organizações em todo o mundo: objetivos como priorização de geração renovável de energia, recirculação de água, apuração de custos por área, já estão presentes em muitas corporações. Para viabilizar isto, é necessário um controle de dados e informações dos processos consumidores, que terão como consequência uma produção responsável, redução das mudanças climáticas e universalização do uso da energia e água. Através da contabilização dos dados de medidores de energia e utilidades, a geração de informações importantes que implicam em conhecimento, as empresas diminuem custos e passam a investir em inovação, conhecimento e crescimento. Como consequência, teremos o consumo responsável dos insumos utilizados, a geração de emprego, o bem-estar dos colaboradores e um crescimento econômico. Iniciativas como esta também podem ajudar empresas a obterem a certificação ISO 50001, que contribui para a perenidade e manutenção do programa de eficiência energética e das políticas de gestão de energia.

• Controle da emissão de gases poluentes: diminuir os efeitos que estes gases causam para o meio ambiente é uma das metas mais debatidas. Tanto que há alguns anos foi assinado o Protocolo de Kyoto, criado para as empresas adquirirem créditos através da redução de poluentes que causam o efeito estufa. Através do controle de múltiplas variáveis, é possível reduzir a liberação de gases de um processo, trazendo informações importante para a realização de uma otimização e consequente diminuição da liberação de poluentes, combatendo as alterações climáticas, mantendo o consumo responsável e o bem-estar de todos os seres vivos do planeta.

Conclusão

A Agenda 2030 se faz necessária frente ao desperdício diário que constatamos hoje em escala global. As metas foram estabelecidas para que todos possam contribuir e assim proporcionar um futuro social e economicamente sustentável para as próximas gerações.

Pensar a sustentabilidade na veia socioeconômica e ambiental, fará com que todos os envolvidos atinjam os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Ser sustentável hoje, vai além da responsabilidade social corporativa ou da filantropia. É cuidar dos poluentes que a empresa libera, fazer a gestão de energia e utilidades de forma efetiva, educar os funcionários para políticas voltadas ao consumo consciente no dia a dia, buscar sempre a inovação em todas as áreas de produção, gerir melhor os recursos econômicos e ambientais disponibilizados.

Ser pioneiro no mercado requer a adoção de ideias inovadoras. Clique aqui e saiba como unir competitividade, inovação e sustentabilidade para crescer ainda mais.

Os produtos da Viridis contribuem para que as operações de nossos clientes sejam cada vez mais eficientes no consumo de energia e utilidades, o que traz impactos positivos para as economias e comunidades em que essas operações estão inseridas – seja em termos econômicos e sociais, pela promoção do emprego, da renda e de serviços essenciais de qualidade; seja em termos ambientais, pela redução de emissões, de resíduos e dos níveis de consumo de recursos naturais renováveis ou não renováveis.


Analista de Marketing, Viridis

Analista de Marketing da Viridis, formada em Publicidade e Propaganda pela PUC Minas, com cursos de aperfeiçoamento na área de marketing digital. Possui experiência em eventos corporativos, planejamento estratégico e marketing digital.

Comentar