Os desafios do novo gerente de energia e utilidades

Publicado por Sérgio Grassi em seg, 16/07/2018 - 13:02
os desafios do novo gerente de energia e utilidades

Entenda como as mudanças provocadas no mercado estão trazendo novos desafios para o gerente de energia e utilidades, e tornando a gestão da área cada vez mais complexa.

 

A implantação de novas tecnologias e a crescente pressão para melhorar o desempenho energético das organizações estão revolucionando rapidamente os ambientes de gestão de energia e utilidades. Por outro lado, muitas incertezas também rondam este mercado, trazendo novos e constantes desafios para os gestores desta área.

 

Gerir a área de energia e utilidades de uma empresa vai muito além do monitoramento de consumo, abrange também a administração de toda uma operação complexa, direcionada para o aumento da eficiência energética, a melhoria do planejamento e gestão, a alta performance das equipes, a redução de riscos, além da otimização dos processos.

Grandes mudanças na área de energia e utilidades

Diante da pressão para conseguir atingir os objetivos econômicos, abrangendo também aspectos ambientais e sociais de forma integrada, mudanças significativas estão sendo introduzidas na rotina das equipes de gestão de energia e utilidades.

Uma das principais mudanças é a digitalização dos negócios, muitas vezes chamada de transformação digital. Este conceito vem criando novos modelos de negócio com a mesma velocidade que descarta modelos dominantes há várias décadas. A quebra de paradigmas existentes rompe barreiras de mercado, habilita novos produtos e serviços e cria o potencial para um grande aumento de eficiência nas empresas.

Outra mudança com grande repercussão nas empresas é a busca por uma matriz energética cada vez mais limpa. Seja para reduzir os impactos no meio ambiente, aumentar a competitividade no cenário internacional, ou ainda por pressões do próprio mercado, as empresas têm explorado incentivos regulatórios ambientais e certificações que atestem a sustentabilidade de suas operações e produtos. Normas como a ISO 50001, 14001 e o mercado de crédito de carbono são algumas das ações inseridas na rotina das empresas para alcance desses objetivos.

Leia também: Investimento em sustentabilidade: vantagem competitiva ou apenas mais uma despesa?

Transformações como as citadas acima contribuem diretamente para o aumento da complexidade de gestão, trazendo grandes desafios para o gerente de energia e utilidades.

Os desafios do novo gerente de energia e utilidades

Empresas sob pressão de custos frequentemente se voltam para suas operações e gestores na busca pelo melhor desempenho. Por isso, o cenário atual da área de gestão de energia e utilidades apresenta desafios como:

  • Redução de custos

Diminuir os gastos com energia e utilidades é um dos maiores desafios deste gerente. Dados do IBGE apontam que em média 15% do custo total de produção das empresas refere-se a energia e utilidades. Diante deste número significativo, é preciso que o gestor adote ações e utilize ferramentas que o ajudem a alcançar a eficiência operacional, melhorar o planejamento e a gestão para aumentar a eficiência energética, a produtividade da equipe e consequentemente reduzir custos operacionais.

  • Melhoria do planejamento e a gestão

Para atingir os objetivos que otimizem processos e aumentem o nível de eficiência energética, é preciso que o gerente de energia e utilidades consiga gerir e planejar de forma cada vez mais assertiva. A pesquisa Greening The Future: New Technologies That Could Transform How Industry Uses Energy da McKinsey aponta que é possível uma redução adicional dos custos totais de 5% a 10% de energia e utilidades a partir de uma melhor gestão e planejamento. Por isso, é importante que o gerente de energia e utilidades adote ferramentas e rotinas que ajudem a simular cenários futuros de consumo, apoiem a gestão de contratos e faturas, dentre outras ações que tragam informações para um planejamento mais consistente com a realidade operacional e orçamentária da empresa.

  • Aumento da produtividade da equipe

Diante de demandas cada vez mais complexas, as equipes de energia e utilidades se veem diante de um grande volume de dados e metas cada vez mais estratégicas. Por isso, um dos desafios do gerente de energia e utilidades é conseguir adotar rotinas estruturadas e utilizar ferramentas que ajudem seus colaboradores em demandas operacionais como monitoramento de consumo, gestão de faturas e contratos, dentre outras, para que assim sua equipe consiga otimizar esforços.

Conclusão

Apesar dos desafios serem grandes, os meios para que eles sejam alcançados estão cada vez mais disponíveis. Através de um sistema de gestão de energia e utilidades é possível integrar os sistemas corporativos, gerir grandes volumes de dados de forma digitalizada e sem múltiplas versões, definir métricas para um planejamento condizente com a realidade da empresa, manter-se em conformidade com as normas internacionais para assim diminuir os custos, aumentar a eficiência energética e melhorar os processos.

Os desafios propostos demandam esforços de transformação organizacional — voltados para qualidade, inovação, sustentabilidade, eficiência energética, dentre outros, e exigem foco e persistência para analisar a situação corrente, estabelecer metas de evolução, criar planos de implementação, executá-los e avaliar seus resultados, realimentando a melhoria contínua da área.

 

A plataforma de gerenciamento de energia e utilidades da Viridis provê funcionalidades para apoiar diretamente o novo gerente de energia e utilidades, cobrindo funções de monitoramento, planejamento, contratação, custeio, simulação e otimização do consumo energético. As funções de monitoramento possibilitam identificar oportunidades de melhoria nos processos, estratificando os consumos energéticos por diferentes dimensões, além de possibilitar a quantificação de ganhos em custos e emissões de gases de efeito estufa. A integração dos dados de monitoramento às funções de planejamento fortalece os esforços da iniciativa de transformação uma vez que conferem maior sofisticação, consistência e acurácia sobre a previsão de consumo futuro e, consequentemente, sobre o planejamento de custos e o contraste com os valores realizados. Por fim, a plataforma Viridis oferece ao gestor de energia e utilidades toda uma gama de tecnologias para o gerenciamento integrado de projetos de melhoria contínua com foco em eficiência energética, buscando o alinhamento estratégico desde a idealização, implantação e valoração dos investimentos realizados pela organização. Clique aqui e saiba mais sobre nossas soluções.


Diretor Comercial , Viridis

Diretor Comercial da Viridis. Trabalhou durante 35 anos na Vallourec do Brasil, nas áreas de energia, manutenção e montagem industrial e coordenou o projeto da área de Energia e Utilidades da usina Vallourec & Sumitomo (VSB). Graduado em Engenharia Elétrica e pós-graduado em Automação Industrial e Gestão de Negócios. Membro da CB-116, que elaborou a ABNT NBR ISO 50.001 – Sistemas de Gestão da Energia, foi o responsável pela certificação da Vallourec como primeira siderúrgica do Brasil nesta norma. É membro da Câmara de Energias Renováveis e Óleo & Gás da FIEMG.  

Comentar