Diagnóstico Energético: O que é e como fazê-lo?

Publicado por Acriziomar Alves em qua, 14/10/2020 - 22:07
Com o intuito de gerar ganhos em eficiência energética e promover a sustentabilidade nos processos empresariais e industriais, a realização de um diagnóstico energético é essencial, veja a seguir como aplicá-lo.

Infográfico: Consumo de energia na indústria

Publicado por Mariane Gonçalves em qui, 24/05/2018 - 20:54
Veja no infográfico dados sobre consumo de energia nas indústrias e a gestão de consumo como aliada para a eficiência energética das operações.

A plataforma de gerenciamento de energia e utilidades da Viridis provê funcionalidades para apoiar diretamente a rotina de monitoramento do consumo energético de grandes operações industriais, além de iniciativas para aumento de eficiência energética. As funções de monitoramento possibilitam identificar oportunidades de melhoria nos processos, estratificando o consumo de energia elétrica de acordo com diversas dimensões, além de possibilitar a apuração de ganhos em custos e, considerando oportunidades de diversificação da matriz energética, redução de emissões equivalentes. Indústrias eletrointensivas encontram-se intensamente expostas à volatilidade dos preços da energia, tanto no curto, quanto no longo prazo. A aquisição de energia elétrica no Ambiente de Contratação Regulada (mercado livre de energia) – em níveis de demanda, sazonalidade e outros parâmetros de interesse – depende, assim, de um bom grau de previsibilidade de níveis de consumo e preços futuros. A plataforma Viridis integra naturalmente os dados de consumo coletados em tempo real a modelos de previsão de consumo futuro para diferentes cenários de preços, facilitando o gerenciamento de contratos de aquisição e promovendo, dessa forma, eficiência de ponta a ponta: dos processos de chão de fábrica até o gerenciamento completo da função energia e utilidades. Saiba mais sobre as nossas soluções no link.


10 funcionalidades que não podem faltar em um sistema de gestão de energia e utilidades efetivo

Publicado por Mariane Gonçalves em qui, 19/04/2018 - 22:27
Atualmente, a grande preocupação de empresas em diversos segmentos é o equilíbrio entre a racionalização do consumo de recursos energéticos e de outros insumos, sem diminuição da produtividade e da qualidade de produtos e serviços ofertados.

A plataforma de gerenciamento de energia e utilidades da Viridis provê funcionalidades para apoiar diretamente iniciativas de eficiência energética de organizações industriais, cobrindo funções de monitoramento, planejamento, contratação, custeio, simulação e otimização do consumo energético. As funções de monitoramento possibilitam identificar oportunidades de melhoria nos processos, estratificando os consumos energéticos por diferentes dimensões, além de possibilitar a quantificação de ganhos em custos e emissões de gases de efeito estufa.  

A integração dos dados de monitoramento às funções de planejamento fortalece os esforços da iniciativa de transformação uma vez que conferem maior sofisticação, consistência e acurácia sobre a previsão de consumo futuro e, consequentemente, sobre o planejamento de custos e o contraste com os valores realizados. Por fim, a plataforma Viridis possibilita toda o gerenciamento integrado de projetos de melhoria contínua com foco em eficiência energética, buscando o alinhamento estratégico desde a idealização, implantação e valoração dos investimentos realizados pela organização. Saiba mais sobre os nossos produtos. 


Gestão de Energia e Utilidades e os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Publicado por Mariane Gonçalves em ter, 16/01/2018 - 18:20
Entenda como a gestão de energia e utilidades pode contribuir com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU e ainda tornar sua empresa mais competitiva.

Os produtos da Viridis contribuem para que as operações de nossos clientes sejam cada vez mais eficientes no consumo de energia e utilidades, o que traz impactos positivos para as economias e comunidades em que essas operações estão inseridas – seja em termos econômicos e sociais, pela promoção do emprego, da renda e de serviços essenciais de qualidade; seja em termos ambientais, pela redução de emissões, de resíduos e dos níveis de consumo de recursos naturais renováveis ou não renováveis.